fbpx

Nome sujo: conheça os mitos e verdades sobre o assunto

O famoso nome sujo é um fantasma que assombra os brasileiros. De acordo com dados divulgados pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), em janeiro de 2021, mais de 66% dos consumidores estão endividados e encontram dificuldades para acertar as suas contas. Em meio a tantas suposições a respeito do nome sujo, fica difícil distinguir o que é mito e o que é verdade, não é mesmo?

Ao ser inserido nos órgãos de proteção ao crédito, o consumidor enfrenta algumas dificuldades na obtenção de benefícios no mercado financeiro. Entretanto, inúmeros mitos sobre o assunto circulam pela internet e deixam dúvidas em quem está devendo. Por isso, vamos desvendar os principais mitos e verdades sobre o nome sujo. Continue acompanhando para conferir!

Mitos e verdades sobre o nome sujo 

Antes de mais nada, é preciso entender o que leva um consumidor a ficar com o nome sujo. O termo é popularmente utilizado para se referir a pessoas que adquiriram um produto ou serviço e, por algum motivo, não puderam arcar com o pagamento total do valor. Devido ao não pagamento, elas são cadastradas em órgãos de proteção ao crédito, como SPC, SERASA, SPC Brasil, entre outros.

Agora, vamos aos mitos e verdades:

Você pode ser impedido de solicitar novos cartões de crédito 

Verdade. Ao ficar com o nome sujo, a pessoa é vista pelo mercado como uma má pagadora. Por isso, as operadoras podem impedi-la de solicitar um novo cartão de crédito. Além disso, o banco onde o devedor tem conta também pode bloquear o cheque especial. Isso acontece porque as empresas avaliam a capacidade de pagamento do consumidor para oferecer um limite de crédito compatível.

Quando o nome fica sujo, o score de pontuação, que avalia a confiabilidade como pagador, cai. Com isso, a chance de obter um novo cartão de crédito ou qualquer tipo de financiamento também diminui.

Ter nome sujo pode interferir na contratação em um emprego

Depende. As únicas instituições que podem eliminar um candidato do processo seletivo com base na inadimplência são as instituições financeiras. Afinal, elas lidam diretamente com dinheiro. Caso contrário, a discriminação de um candidato fundamentada por esse quesito é contra a lei.

A inadimplência pode prejudicar os estudos

Verdade. Caso você seja universitário e deixe de pagar as mensalidades, a instituição de ensino pode impedir a renovação da matrícula para o próximo semestre. Além de ter o direito de fazer isso, ela pode oferecer uma negociação para facilitar o pagamento do valor devido antes de aceitar a rematrícula. 

A negociação da dívida só limpa o nome quando é finalizada

Mito. Quando o consumidor negocia uma dívida, ele precisa assinar um contrato especificando os termos de pagamento, como prazos e valores das parcelas. Dessa forma, o nome é liberado logo após o pagamento da primeira parcela.

Sendo assim, a negociação de dívidas é uma forma rápida e prática de se livrar de uma vez do nome sujo. Por ser um acordo entre credor e devedor, o pagamento é facilitado e muito menos burocrático. Quer saber mais sobre o assunto? Conheça as vantagens de negociar as dívidas.

Consequências do nome sujo 

Apesar dos mitos que envolvem a inadimplência, uma coisa é fato: ter o nome sujo pode acarretar consequências que afetam diferentes áreas da vida. Confira abaixo algumas delas.

Queda no score

Ao pagar contas, fazer compras e usar cartões de crédito ou crediário, o consumidor começa a acumular pontos em um sistema que mede a sua capacidade de pagamento.

Pessoas que honram seus compromissos financeiros acumulam pontos e, consequentemente, sobem no score. Essa análise considera também outros fatores, como histórico de dívidas, o relacionamento com instituições financeiras e informações de cadastro.

O nome sujo interfere no score e diminui gradativamente a pontuação, além de mostrar ao mercado que a pessoa tem dificuldade de cumprir os pagamentos. Isso pode gerar consequências negativas, pois restringe ainda mais o acesso ao crédito.

Financiamentos e empréstimos

Como demonstrado anteriormente, pessoas inadimplentes perdem pontos no score, ficando com o nome sujo. Sendo assim, bancos e demais instituições financeiras entendem que esses consumidores são mau pagadores e não honrarão o pagamento das parcelas, caso recebam um financiamento ou empréstimo. 

Limpe o seu nome com a Pherfiltec

Agora que você já conhece os principais mitos e verdades sobre nome sujo e algumas consequências práticas da inadimplência, que tal negociar as suas dívidas? Como visto, a negociação de dívidas é uma maneira fácil e rápida de limpar o nome!

O melhor é que com a Pherfiltec você pode negociar as suas dívidas de forma rápida e totalmente online. Confira:

Clique e acesse o site da Pherfiltec e preencha o seu CPF para consultar as dívidas pendentes. Em seguida siga as instruções abaixo:

  • Consulte seu CPF;
  • Escolha a melhor proposta para o seu bolso;
  • Gere um boleto ou pague com cartão de crédito.

Depois de seguir esses 3 passos em nosso site, tudo o que você precisa fazer é pagar o seu acordo em dia! 

Compartilhe:

Mais posts

Renda extra

Aprenda como fazer renda extra para quitar as dívidas

Ganhar um dinheirinho a mais é bom e todo mundo gosta, não é mesmo? A famosa renda extra pode servir para complementar o orçamento mensal, para investimentos no futuro e até para quitar aquela dívida que pesa no bolso. Encontrar novas formas de aumentar os ganhos pode ajudar a complementar o seu salário e organizar

Recuperar o crédito

Descubra como recuperar o crédito após limpar o nome

Estar com o nome sujo nos órgãos de proteção de crédito, como SPC e SERASA, pode ser uma grande dor de cabeça, mas também é uma situação passageira. Existem inúmeras formas de se organizar para limpar o nome e, assim, recuperar o crédito no mercado financeiro. Entretanto, a pergunta que muitos endividados se fazem é

Limpar o nome

Saia do vermelho: 5 dicas práticas para limpar o nome

A falta de conhecimento financeiro é um dos principais responsáveis pelo alto índice de endividamento no Brasil. De acordo com uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o número de endividados no país é o maior em 11 anos. O descontrole no orçamento pode virar uma bola de

Rolar para cima