fbpx

Gastos Invisíveis: Aprenda A Reconhecer E Evitar

Imagine a seguinte situação: o mês ainda está longe de terminar, o salário mal caiu na conta, mas o saldo bancário já está perigosamente perto do negativo. Se você se identificou com o cenário apresentado e por vezes se pegou pensando “Para onde foi todo o meu dinheiro?”, saiba que você pode estar caindo na armadilha dos gastos invisíveis.

É preciso ficar muito atento, pois esse tipo de questionamento acende um alerta importante de que você pode estar gastando mais do que deveria e comprometendo o seu orçamento. Mas, antes de mais nada, que tal entender o que são os tais gastos invisíveis?

O que são gastos invisíveis?

Gastos invisíveis

Os gastos invisíveis são pequenos gastos que, somados no final do mês, podem representar o consumo de uma parcela significativa do seu orçamento. Esse tipo de despesa costuma ter um valor baixo que, sozinho, parece irrelevante e não impacta nas finanças, mas somado a vários outros pequenos valores, tem o poder de desequilibrar o seu planejamento financeiro.

Na rotina corrida, temos a tendência de não nos atentarmos aos gastos diários, entretanto, eles são os principais responsáveis pelo susto na hora de abrir a fatura do cartão de crédito ou pelo desânimo na hora de dar aquela espiadinha no extrato bancário.

Neste artigo da Pherfiltec, você vai aprender a reconhecer os potenciais gastos invisíveis na sua rotina e identificar algumas formas simples de evitá-los.

5 tipos de gastos invisíveis

1. Aplicativos de delivery

No último ano, devido à pandemia, o setor de delivery cresceu mais de 94%. A praticidade de abrir o aplicativo preferido e, em minutos, receber em casa qualquer comida de sua escolha pode representar um ganho de tempo e energia, entretanto, é uma grande desvantagem para o seu bolso.

As facilidades oferecidas pelos aplicativos tendem a criar um ciclo vicioso, pois o cérebro se habitua às vantagens e tende a querer repetir o mesmo comportamento. Quer ver só? Quantas vezes você pediu comida, mesmo podendo preparar uma refeição caseira, apenas pela comodidade?

Porém, é aí que mora o perigo. Somados, os gastos com aplicativos podem causar um aumento expressivo na fatura do seu cartão de crédito, caso você não tenha um limite mensal estipulado no seu orçamento para esse tipo de despesa.

Por isso, ao sentir a tentação de pedir mais um delivery, tente, por exemplo, fazer o seguinte exercício:

  • Some o gasto com todos os pedidos que você fez no último mês e pense em algum boleto do mesmo valor que poderia ser pago com essa quantia. Dessa forma, você conseguirá visualizar o quanto está gastando nos aplicativos e como esse dinheiro poderia ser aplicado em gastos essenciais.

Mas não estamos dizendo para você nunca pedir comida no delivery caso sinta vontade, tudo bem? Lembre-se apenas de manter os gastos com a funcionalidade dentro do seu orçamento estipulado.

2.  Promoções e compras por impulso

Quantas vezes você comprou algo na promoção apenas pelo valor atrativo e, logo depois, se arrependeu da compra? Esse é um comportamento comum entre os consumidores brasileiros, portanto, saiba que você não está sozinho!

Somos bombardeados constantemente por anúncios e promoções, especialmente no celular e em redes sociais. Os estímulos são trabalhados para nos convencer de que precisamos daquele produto e a promoção é o encorajamento final.

Assim sendo, tente adotar o hábito de se fazer três pequenas perguntas antes de finalizar uma compra:

  • Eu preciso desse objeto?
  • Tenho dinheiro para comprá-lo?
  • É necessário comprá-lo agora?

Em outras palavras, mantenha sempre o pensamento de evitar compras desnecessárias em mente.

3.   Anuidade e outras tarifas do cartão

Um gasto invisível que está presente na vida de todos que possuem uma conta corrente em um banco tradicional é o gasto com a anuidade e demais tarifas do cartão. Você já parou para analisar o quanto gasta em média com esses serviços? Caso não tenha o hábito de fazer essa avaliação, podemos te informar, de antemão, que você vai se surpreender com o valor.

A notícia boa é que você pode negociar essas tarifas e economizar de 25% a 100%, a depender do plano contratado no seu cartão. Agora que você já sabe dessa dica, não perca tempo e entre em contato com a operadora do seu cartão para negociar o valor pago mensalmente.

4.   Refeições fora de casa

Ao falarmos sobre gastos invisíveis, é inevitável apontarmos o estômago como um dos grandes culpados pelo desequilíbrio nas contas. Isso porque os lanches e refeições fora de casa são campeões no ranking dos gastos desnecessários. Quando esses valores não são contabilizados ou previstos no orçamento, há uma grande chance de você desequilibrar a sua vida financeira.

Vamos fazer uma conta rápida: caso você gaste R$6,00 todos os dias úteis tomando um café e comendo um pão na chapa antes do trabalho, por exemplo, no final do mês seriam, em média, R$126,00 gastos. Em um ano, o valor somaria cerca de R$1.518,00. É muito dinheiro, não é mesmo?

Para driblar esse gasto, tente criar o hábito de fazer o maior número possível de refeições em casa. Além de ser mais econômico, você também consegue se planejar para consumir alimentos mais saudáveis e desenvolver suas habilidades culinárias. Apenas benefícios nessa prática!

5.  Atraso no pagamento de contas

Há muitos motivos para o não pagamento de dívidas, mas uma razão comum e que consome recursos desnecessariamente é o esquecimento. O atraso no pagamento gera multas e juros, e pode aumentar expressivamente o valor de uma conta.

Atualmente, cerca de 66,3% dos consumidores estão endividados, segundo a última Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada em dezembro de 2020. O famoso nome sujo impõe uma série de restrições a respeito do que você pode fazer, causando implicações na sua rotina.

Uma boa forma de evitar o atraso no pagamento das suas contas essenciais é colocá-las em débito automático. Dessa forma, você não esquecerá de pagá-las no dia.

Gastos invisíveis

Negociação de dívidas causadas por gastos invisíveis

Se os gastos invisíveis saíram do controle e você já está com uma dívida, saiba que há diversas opções de acordos para pagamento do valor. Com a Pherfiltec você pode negociar e quitar a sua dívida pela internet, sem sair de casa.

Quer ver como é fácil? Confira abaixo:

1º Consulte o seu CPF no site;
2º Escolha a proposta mais adequada para o seu bolso;
3º Gere um boleto ou pague com cartão de crédito.

Após realizar os passos acima, você só precisa pagar o seu acordo em dia! O melhor é que você pode parcelar o boleto informando o código de barras, selecionando o número de parcelas e inserindo os dados do cartão de crédito. Um serviço fácil, rápido e que oferece toda a segurança para você. 

Compartilhe:

Mais posts

Negociar dívidas com a Avon

Entenda como negociar dívidas com a Avon de forma online e com desconto

De acordo com informações do Banco Central, o índice de endividamento bateu recorde no Brasil em 2020. Entretanto, contrapondo as estatísticas, a inadimplência recuou. Se você está se perguntando como isso é possível, saiba que muitos devedores estão optando por métodos alternativos para pôr as contas em dia. Entre eles, o mais utilizado é o

Negociar as dívidas

Conheça as vantagens de negociar as dívidas

Ainda estamos em fevereiro, mas você já está preocupado com as contas acumuladas? Sabemos que quando as dívidas batem na porta, pode ser difícil encontrar uma saída para se livrar delas. E o mais importante: de uma forma que caiba no orçamento. Uma boa solução para essa situação é negociar as dívidas!  A negociação de

Vida financeira saudável

5 benefícios de uma vida financeira saudável

Até pouco tempo atrás, a educação financeira não era um tema amplamente discutido. Como resultado disso, vemos gerações que não sabem administrar suas finanças e manter uma vida financeira saudável. O que gera um enorme problema, pois muitas pessoas não têm o conhecimento necessário para cuidar do seu dinheiro e, dessa forma, acabam se endividando. 

Dívidas

Descubra os impactos que as dívidas podem causar à saúde

As dívidas não são um problema que afeta apenas o financeiro. Em muitos casos, a situação do devedor pode tomar uma proporção tão grande que gera complicações, inclusive, à saúde. Atualmente, cerca de 66,3% dos consumidores brasileiros estão endividados, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio

Rolar para cima